Dom Luigi Giussani

As missas pelo aniversário: «Para crescermos no serviço à Igreja e aos homens»

A catorze anos da morte de Dom Giussani e a trinta e sete do reconhecimento da Fraternidade de CL, dezenas de bispos presidirão as funções no mundo todo. Aqui a intenção das missas

«Para que, na participação grata e fiel à história particular gerada hoje pelo carisma de Dom Giussani, cresçam em cada um de nós a inteligência da fé, a certeza da esperança e o ardor da caridade ao serviço incansável da Igreja e dos irmãos homens». É esta a intenção com que serão celebradas, na Itália e no mundo, as missas pelo 14° aniversário da morte do Servo de Deus Dom Luigi Giussani (22 de fevereiro de 2005) e o 37° do reconhecimento pontifício da Fraternidade de Comunhão e Libertação (11 de fevereiro de 1982).

Da contribuição que a fé pode dar à situação do homem contemporâneo falou-nos recentemente Padre Julián Carrón, referindo-se ao medo que domina o momento atual: «A insegurança existencial com que muitas vezes o homem de hoje deve acertar as contas faz com que ele se precipite no medo. Quantas situações ele não consegue controlar com suas forças! A intervenção do Mistério em nossa existência não derrota o medo como que por magia, mas investe a vida com Sua presença, provocando nossa razão e nossa liberdade a reconhecê-la. Só quem a reconhece e a ela se confia é que poderá verificar até que ponto este medo é vencido pela presença d’Ele. Deus não nos poupa o caminho da verificação. A vitória sobre a insegurança existencial e sobre o medo dá-se conforme um desígnio que não é o nosso, mas acontece. “O cristianismo é uma presença dentro da tua existência, uma presença que garante uma mudança inimaginável, inimaginável” (Dom Giussani). Se acolhermos a Presença d’Ele, que nos alcança hoje com um sinal humano, introduz-se em nós aquela mudança».

A lista atualizada das missas pode ser encontrada on-line.

Aqui segue uma seleção:

São Paulo, Dom Carlos Lema Garcia, 2 mar.; Milão, Dom Mario Delpini, 11 fev.; Roma, Pe. Roberto Dotta, 22 fev.; Perúgia, Card. Gualtiero Bassetti, 11 fev.; Bolonha, Dom Matteo Zuppi, 25 fev.; Gênova, Card. Angelo Bagnasco, 27 fev.; Florença, Card. Giuseppe Betori, 15 fev.; Nápoles, Card. Crescenzio Sepe, 24 fev.; Turim, Dom Cesare Nosiglia, 11 fev.; Palermo, Dom Corrado Lorefice, 21 fev.; Caracas, Card. Baltazar Porras, 16 fev.; Nova Iorque, Dom Christophe Pierre, 17 fev.; Madri, Card. Carlos Osoro Sierra, 23 fev.; Barcelona, Dom Sergi Gordo Rodríguez, 9 fev.; Moscou, Dom Paolo Pezzi, 7 mar.; Viena, Card. Christoph Schönborn, 14 fev.; Varsóvia, Card. Kazimierz Nycz, 21 fev.; Amã, Dom Alberto Ortega, 3 mar.; Karaganda, Dom Fransis Assisi Chullikat, 17 fev.; Toronto, Card. Thomas C. Collins, 13 fev.; Buenos Aires, Dom León Kalenga Bandikebele, 26 fev.; Vilnius, Dom Pedro López Quintana, 8 fev.; Londres, Dom John Wilson, 12 fev.; Porto Rico, Dom Roberto González Nieves, 22 fev.; Montreal, Dom Christian Lépine, 21 fev; Budapeste, Dom Gábor Mohos, 22 fev.; Praga, Dom Zdeněk Wasserbauer, 24 mar.; Taipei, Pe. Otfried Chan, 23 fev.; Nairóbi, Card. John Njue, 10 mar.; Tunes, Pe. Ilario Antoniazzi, 15 fev.