Davide Prosperi e Letizia Bardazzi, presidente da AIC.

Cultura: ser por Cristo

Notas da colocação de Davide Prosperi, presidente da Fraternidade de CL, na assembleia da Associação Italiana de Centros Culturais (Milão, 18 de maio de 2024)
Davide Prosperi

Gostaria de dizer logo de início que as coisas que vou dizer a vocês hoje são o resultado de um longo processo de debate sobre o tema de nossa presença cultural, conduzido nos últimos meses junto com aqueles que compartilham comigo a responsabilidade pelo movimento. Como já dissemos várias vezes nos últimos anos, a autoridade oferece um juízo que é expressão de uma comunhão. Nesse juízo está incluída a contribuição da minha experiência pessoal, vivida por tantos anos nos lugares de responsabilidade do movimento, primeiro com Dom Giussani, depois com Pe. Carrón e agora na função que me foi confiada na nossa companhia.

Tempos de recapitulação, discernimento, renovação e relançamento missionário

Quero começar com estas palavras proferidas pelo Papa Francisco na Audiência concedida a CL em 15 de outubro de 2022: «Não faltaram sérios problemas, divisões e, decerto, também um empobrecimento na presença de um movimento eclesial tão importante quanto Comunhão e Libertação, do qual a Igreja, e eu mesmo, espera mais, muito mais. Os tempos de crise são tempos de recapitulação da vossa extraordinária história de caridade, de cultura e de missão; são tempos de discernimento crítico daquilo que limitou o potencial fecundo do carisma de Dom Giussani; são tempos de renovação e retomada missionária à luz do momento eclesial atual, bem como das necessidades, dos sofrimentos e das esperanças da humanidade contemporânea»…

Baixe o PDF com o texto integral