Cristo no limbo ressuscita os eleitos (séc. XV). Capela de São Sebastião, Lanslevillard. França

Exercícios da Fraternidade 2019. A primeira palestra

As anotações da primeira palestra dos Exercícios Espirituais, intitulados: «O que resiste ao impacto da passagem do tempo» (Rímini, 12 de abril). O livreto completo virá junto com a Passos de julho (edição 215)
Julián Carrón

«Bem-aventurados os puros no coração, pois eles verão a Deus» (Mt 5,8)

Diante da pergunta “O que resiste ao impacto da passagem do tempo?», a resposta não pode ser os nossos sentimentos ou o nosso estado de espírito, os nossos pensamentos ou os nossos argumentos, que “não interessam a ninguém». Por isso, olhemos de frente a nossa pergunta! Nós não temos nenhum medo de levar a sério as perguntas mais desafiadoras que possam surgir na vida: não queremos olhar para outro lado, não queremos conformar-nos com consolações baratas, queremos ser homens e mulheres capazes de olhar para tudo.

Uma universitária, num encontro de responsáveis, dirigiu-me de maneira franca uma pergunta que nos permite entender o problema: «No fim de semana passado, fizemos uma convivência de dois dias para acolher os calouros, que para mim foi muito bonita e aconteceu num momento muito turbulento. Percebi que no fim da convivência eu estava diferente. O ponto é que, voltando para casa, bastaram vinte minutos, aconteceu uma coisa minúscula e voltei ao meu nervosismo, como se aquela coisa que tinha me mudado, a beleza que tinha acontecido naqueles dois dias, não durasse. Então a minha pergunta é: o que aconteceu lá e o que dura depois no dia a dia?».

Podemos dizer, resumindo ao máximo, para esclarecer de um jeito simples, que a situação em que normalmente estamos é esta: nós chegamos de uma experiência A (neste caso, um momento muito turbulento) e acontece B (essa menina vai à convivência e acontece algo que a move, tornando-a diferente), mas depois de um tempo, como se nada tivesse acontecido, como se não tivesse havido B, voltamos para A e recomeçamos do zero. Parece que o que nos aconteceu desaparece, não tem força para durar, para atravessar o tempo, para continuar a nos mudar...

Baixe o PDF